DIA MUNDIAL DA ÁGUA E UMA REFLEXÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

DIA MUNDIAL DA ÁGUA E UMA REFLEXÃO SOBRE O CORONAVÍRUS.

Esta semana comemoramos o dia mundial da água e nos cabe neste momento uma reflexão:
Em 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU) determinou que o dia 22 de março seria a data oficial para comemorar e realizar atividades de reflexão sobre o significado da água para a vida na Terra.
Em 2010, foi decretado por lei que a água limpa e potável é um direito do ser humano. A água é fonte da vida e componente bioquímico dos seres vivos.
Apesar de todos sabermos da importância de preservá-la, continuamos poluindo os rios, destruindo as nascentes e desperdiçando-a como se fosse um recurso ilimitado e estivesse amplamente disponível para todos. Estamos tão habituados à presença da água que só damos conta da sua importância quando ela nos faz falta.
Em 2020, vivemos uma luta mundial contra o novo coronavírus, adotando hábitos e cuidados de higiene fundamentais para evitar o contágio e a propagação da doença. Em um movimento coletivo em prol da humanidade, estamos evidenciando a importância de lavarmos as mãos com frequência e corretamente.
O que não nos damos conta, é que esse hábito tão simples, não é acessível a todos.
Segundo dados do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), duas em cada cinco pessoas em todo o mundo não têm instalações básicas para se lavar as mãos. 47% das escolas, que abrigam 900 milhões de crianças em idade escolar, não têm um lavatório adequado, 16% dos estabelecimentos de saúde não contém banheiros funcionais ou instalações para lavar as mãos, 40% da população mundial, ou seja, 3 bilhões de pessoas, não têm lavatório com água e sabão em casa e quase três quartos das pessoas nos países menos desenvolvidos não contam com tais instalações.
O fundo apresenta ainda outros dados mundiais que mostram a precariedade dos serviços de saneamento básico. Na África Subsaariana, 63% da população nas áreas urbanas, não têm acesso à lavagem das mãos. Na Ásia Central e Meridional, 22% da população nas áreas urbanas também não têm acesso e quase 50% dos bengaleses urbanos e 20% dos indianos urbanos, carecem de instalações básicas para lavar as mãos em casa.
No Brasil, segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), 83,5% da população é servida por rede de água, mas apenas 52,4% tem o esgoto coletado, do qual somente 46% é tratado. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou estudo que prevê que quatro em cada 10 litros de água são perdidos antes de chegar à população. Ainda segundo a CNI, 34 milhões de brasileiros não têm água encanada e quase 40% dos recursos hídricos se perdem por desvios e infraestrutura deteriorada.

Levando em conta a situação de muitos acerca da disponibilidade da água, devemos lembrar que em tempos conturbados como esse, é importante não desperdiçarmos e dar o devido valor à economia desse recurso essencial para nossas vidas.

Autor: Vitor Barroso Marques
Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2020/03/22/interna_internacional,1131299/dia-mundial-da-agua-e-coronavirus-bilhoes-nao-tem-acesso-a-agua-e-sab.shtml

Translate